FESTA DA LUZ: Fé e devoção reúnem devotos na Abertura da Romaria das Candeias


Corações emocionados, olhares e ouvidos atentos à Celebração Eucarística e aquela alegria no sorriso e no louvor através do aceno com o chapéu de palha. Assim, estiveram reunidos uma multidão de fiéis no largo da Praça do Romeiro, na Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores, para a abertura de mais uma Festa e  Romaria em honra à Nossa Senhora das Candeias. A noite desta quarta-feira (29) marcou o início para vivência de cinco dias intensos de fé, devoção, agradecimentos e preces, durante uma das maiores romarias de Juazeiro do Norte.

A Festa da Luz, como assim é carinhosamente conhecida, atrai romeiros e peregrinos vindos de várias localidades espalhadas pelo País. Em sua maioria, fiéis do Nordeste que seguem a tradição de seus familiares mais antigos em virem a Juazeiro do Norte para fortalecerem sua fé, por meio das bênçãos do Padre Cícero e da Mãe das Dores. Na Romaria de Candeias, o sentido da romaria torna-se ainda maior, pois é a própria Mãe de Jesus que aponta a Luz do Mundo, Jesus Cristo, fonte inesgotável de paz, misericórdia e esperança.



Neste ano, a abertura da Romaria das Candeias contou com a presença do Bispo da Diocese de Propiá (Sergipe), Dom Vitor Menezes, que presidiu a Santa Missa das 19h, na Basílica Santuário. Nas palavras do bispo romeiro, estava a alegria em vivenciar, pela primeira vez, a sua experiência romeira em Juazeiro. "Para mim, é uma experiência nova vivenciada nesta cidade. Vim a convite do Padre Cícero José, mas também como romeiro, peregrino. Hoje pela manhã, fiz visitas a vários lugares sagrados da devoção popular. Até o momento, estou impressionado com tudo que já vivi, me impresiona a fé deste povo", declarou.

Muitos peregrinos buscam no olhar terno da Virgem Maria, com o título de Nossa Senhora das Candeias, bem como no testemunho de vida do Padre Cícero, a luz para os seus passos, uma direção nova de vida. De acordo com Dom Vitor, a esperança é o impulso maior para as peregrinações a esta cidade, desde o tempo do Padre Cícero Romão até os dias atuais. "São pessoas simples, gente que se identifica com o Padre Cícero Romão pelo amor e acolhida que ele sempre teve para com os mais pobres. Creio que o povo continua vindo aqui nesta expectativa por uma palavra de conforto, para encontrar um amigo, que é o Padrinho Cícero, e pedir a Deus a bênção através dele. Na verdade, o povo vem cheio de esperança para uma vida nova, tempos novos", pontua o bispo da Diocese de Propriá que faz votos de retornar mais vezes. "Que esta seja a primeira de muitas outras romarias que farei a Juazeiro", acrescenta.

Muitos são os romeiros sergipanos que, assim como o bispo diocesano, vivem ou revivem a sua experiência romeira durante a Romaria de Candeias, como é o caso da dona de casa Maria Iolanda da Silva, que veio de Nossa Senhora da Glória-SE. "Já alçancei muitas graças. Hoje, encerro a promessa que fiz ao Padre Cícero e a Nossa Senhora das Candeias em participar, descalça, de sete missas na Casa da Mãe das Dores, em sinal de agradecimento pela saúde de minha filha", testemunhou, emocionada, a devota.



Expressão de carinho ao Padrinho Cícero não faltam nos testemunhos relatados pelos fiéis romeiros que visitam o município, como a aposentada Marieta de Lima, da cida"O prazer e a alegria em visitar o meu Padrinho me trazem até aqui, todos os anos. Estou muito feliz em estar na abertura desta linda festa. Vale a pena toda a distância para chegar aqui. Não tem cansaço quando aqui chego", relatou Marieta.

de de Bom Conselho-PE. A romeira de 79 anos de idade alcança, orgulhosa, a sua 54ª romaria a Juazeiro.



Blog Coisa Nossa Pernambuco
Fonte: Mãe das Dores Juazeiro

Postar um comentário

0 Comentários